Universidade Federal do Para
 
SEXTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2017
 

Ciclo temático do Gepem discute autonomia reprodutiva feminina

 

O Grupo de Estudos e Pesquisas Eneida de Moraes sobre Mulher e Gênero (Gepem) promove, a partir desta terça (11), mais um ciclo temático, retomando seus encontros de estudos neste segundo semestre. Do dia 11 de agosto até o dia 1º de setembro, todas as terças-feiras, a partir das 14h, o coletivo discute o tema “Autonomia reprodutiva feminina”, inserido na linha de pesquisa “Gênero, saúde e violência” do grupo, coordenada pela professora doutora Adelma Pimentel, do Programa de Pós-Graduação em Psicologia.

 

Direitos reprodutivos - De acordo com a jornalista Úrsula Ferro, membro do Gepem e coordenadora temática dos próximos encontros, autonomia reprodutiva feminina refere-se ao direito que a mulher tem ou deveria ter de tomar decisões sobre o seu próprio corpo em questões referentes à reprodução. “No Brasil, percebemos que a mulher é impedida de exercer plenamente essa autonomia. Como exemplo, podemos citar o fato de a Agência Nacional de Saúde Suplementar só permitir que uma mulher casada realize laqueadura se o marido autorizar.

Além disso, dados do inquérito nacional sobre parto e nascimento “Nascer no Brasil” apontam que 70% das mulheres entrevistadas queriam ter seus filhos por parto normal, mas mais da metade foi submetida à cesariana, por falta de apoio em sua decisão original. Isso sem contar a regulamentação restritiva e criminalizadora em relação ao aborto”, denuncia Úrsula, que é ativista do Movimento pela Humanização do Parto e do Nascimento e integrante da Rede Parto do Princípio.

Encontros - Cada encontro do ciclo abordará um assunto, finalizando com a exibição de vídeos e presença de convidadas especiais. Nesta terça, 11, o assunto será “Sexualidade e a construção das diferenças entre os sexos”, problematizando as imagens constituídas sobre o corpo da mulher como frágil e patológico e por isso necessitado de intervenções para corrigi-lo.

No dia 18, o encontro “Em busca da autonomia no parto e no nascimento” discutirá a questão da violência obstétrica e a luta dos movimentos sociais contra essa prática, que vitima uma em cada quatro mulheres no Brasil. Já no dia 25, o tema “A arte de enganar a natureza: reprodução como problema político” trará uma das maiores polêmicas na seara reprodutiva feminina, o aborto. O último dia do ciclo temático, em 1º de setembro, intitulado “Combatentes da autonomia reprodutiva feminina: panoramas”, incluirá a exibição dos documentários “Violência obstétrica: a voz das brasileiras” e “Clandestinas”, além da participação de militantes do Movimento pela Humanização do Parto e do Nascimento e do movimento pela descriminalização do aborto.

Inscrições – Para se inscrever para o ciclo temático, interessados devem preencher o formulário neste link.  A participação dá direito a certificado de 20 horas, porém apenas mediante 100% de frequência. Os textos para o primeiro encontro podem ser baixados nestelink e a bibliografia completa pode ser conferida aqui. Todos os encontros acontecem das 14h às 17h, na sala do Gepem, nos altos do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH).

Serviço:
Ciclo temático “Autonomia reprodutiva feminina” – Grupo de Estudos e Pesquisas Eneida de Moraes sobre Mulher e Gênero (Gepem)
Dias: 11, 18 e 25 de agosto e 1º de setembro de 2015
Hora: 14h às 17h
Local: Sala do Gepem – altos do IFCH
Inscrições aqui
Informações:  This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it

Texto: Ádria Azevedo – Ascom/IFCH

 


xxxx - Universidade Federal do Pará
Tel: (xx) xxx-xx- E-mail: xxxx@ufpa.br